14 de ago de 2013

CÂNCER DE MAMA - CAPÍTULO 11 - RADIOTERAPIA II



Depois de 2 cirurgias de mama, umas 30 quimioterapias e 20 radioterapias na coluna cervical (pescoço), o tumor da mama direita que cresceu no mesmo lugar, agora estava com 6 x 6 cm e crescendo externamente porque a mama foi totalmente retirada e ele estava em cima do músculo esquelético peitoral. 

Parecia um limão sob a pele do peito. 

Só a quimio não estava resolvendo, então a oncologista decidiu fazer radioterapia no tumor para ver  se diminuía de tamanho e me encaminhou para o radioterapeuta.

Ele ficou  preocupado porque eu não poderia parar com a químio e as duas terapias juntas seria muita toxidade de uma vez só.

Falou que ia conversar com a oncologista para estudarem o assunto.

Alguns dias depois, ele me chamou e disse que tinha falado com ela sobre o meu caso e decidiu fazer 25 sessões diárias de radioterapia  e que eu não precisava parar com a químio.

E lá vou eu,...todos os dias de ambulância até o Hospital ISO em Santos tomar minhas doses de radiação...rsrsrs...

Apesar do hospital ser novo e o aparelho de última geração, controlado por computador, sempre precisava esperar muito porque dava "tilti" e eles tinham que resetar tudo e começar de novo. Isso atrasava todas as sessões que eram com hora marcada.

Cheguei a ficar 2 horas na sala de espera, sentada numa cadeira de rodas.

A sorte é que tinha tv e chazinho e eu assistia capítulos da novela da 6 e da 7.
A aplicação mesmo era bem rápida, 8 minutos.

Entre tirar a blusa, deitar, aplicar e me vestir novamente não passavam mais de 15 minutos.

O chato era ficar naquela sala gelada, deitada no aparelho com as mão para trás, como mostra a figura abaixo, e a cabeça virada  para o lado...bem do lado dolorido do pescoço.


Eram só 8 minutos mas parecia que nunca ia acabar, porque as mãos "formigavam" e o pescoço doía  e eu não podia me mexer nem um pouquinho porque senão a radiação saia do foco do lugar a ser irradiado.

Depois da 10 sessão, a pele começou a escurecer e coçar.

Como uma vez por semana eu passava por uma consulta com o radioterapeuta ,ele disse que era normal.

Quando faltavam 2 sessões, começou a fazer uma ferida de queimadura, mas mesmo assim eu fui na aplicação.

No dia seguinte parecia que estava infeccionado e eu não fui na última sessão, que era numa sexta-feira.

Na segunda, passei com uma consulta com o médico e ele disse que não era infecção , apesar das crostas amareladas ao redor do tumor, mas um tipo de dermatite.

Ele disse para eu fazer compressas de camomila, para amolecer e limpar as crostas e passou uma pomada que eu deveria passar todos os dias, por 1 semana.

Minha filha Ana Flora fazia as compressas, limpava com gaze e retirava todas as casquinhas amareladas e depois passava a pomada.

No começo doía muito, mas depois foi melhorando e quando voltei no médico já estava bem melhor e ele mandou eu receber a última aplicação....ufa...que alívio...

Mesmo depois da última sessão, minha filha continuou a fazer as compressas e passar a pomada até sarar totalmente...

ESSA MENINA É UM ANJO NA MINHA VIDA...

EU TE AMO, MINHA FILHA E PEÇO TODOS OS DIAS PARA DEUS DERRAMAR CHUVAS DE BENÇÃOS NA SUA VIDA.

EU TE AMO!

Foi um período muito difícil e cansativo porque além de  ter de sair todos os dias de ambulância e viajar d uma cidade para outra, no meio do tratamento tive um pico de glicemia, devia à medicação que causou uma convulsão e eu fiquei muito fraca.

Mas penso que valeu a pena porque o tumor diminuiu muito, hoje ele está bem mais baixo e com menos de 4 cm.

Agora estou fazendo vários exames, a pedido da médica oncologista, e vamos ver como está todo o resto.

Depois eu conto prá vocês.


Um comentário:

  1. Admiro sua força e coragem!
    Que Deus lhe ilumine sempre!
    É muito bom ter a família por perto, nos apoiando e dando forças.
    Bjs e parabéns as filhonas!

    ResponderExcluir

Fico feliz quando você deixa um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...